sexta-feira, 24 de julho de 2009

A mulher da dor que andava pelo seu corpo

Vou contar a história da mulher que tinha uma dor que andava pelo seu corpo, um dia a dor estava na mão, no outro estava no pé, coitada dela quando a dor teimava de parecer na coluna.
Todo dia ao sentar na mesa pro almoço assistiamos a primeira edição do noticiário local, se passasse uma matéria sobre dores de cabeça
ela dizia:
- Ai minha menina, eu to com uma dor aqui na cabeça...
A menina descuidada ria e dizia "Sinal que você tem cabeça". Se a dor fosse no pescoço "sinal que você tem pescoço". Mas não pensem vocês que a menina não se importava com a mulher e logo tratava de entregar-lhe um analgésico para aliviar as dores, mas logo voltava a comer sua gelatina de framboesa em frente a televisão agora assitindo ao folhetim sobre as novelas.
Até ontem a menina não sabia se as dores realmente existiam, e toda vez que ia almoçar pensava com nostalgia na mulher das dores tentado adivinhar que tipo de dor ela sentiria se ainda almoçassem juntas. E hoje a mulher com nostalgia pensa na menina, coitadinha não sabia que a vida é dura e que é dificil ser mulher com sua rotina cansativa e estressante de trabalho, casa, marido, filhos e estudos.

Hoje a menina é mulher e tem uma dor que anda pelo seu corpo.

Keywords: mini crônica, a mulher e a menina, amadurecer.

(24/07/09 - 22:01)

Não ficou do jeito que eu queria, ainda sujeita a mudanças, mas achei uma boa lição.

Um comentário:

Pedrinha Miudinha disse...

Eu queria ter tido a felicidade de ter umas segunda mãe, pelo menos das dores imagináveis...hehehe